Fdo-Capa-Abril-Full

Por Charlise Alves

Mesmo que existisse uma fórmula secreta para permanecer no peso ideal, ainda assim valeria a pena se exercitar. Afinal, o exercício físico, além de proporcionar benefícios estéticos, promove bem-estar e até diversão. Várias alternativas agradáveis podem tornar mais prazerosa a prática de exercícios físicos. É por isso que cada dia mais há cada vez menos desculpas para se acomodar à vida sedentária.

O primeiro passo é escolher uma atividade física (ou esporte) com a qual você se identifique. É uma forma de viver a essência do famoso ditado “unir o útil ao agradável”. A ideia é cuidar da saúde física e mental de uma forma divertida. Pode acreditar! Foi-se o tempo em que as pessoas treinavam somente por obrigação.

O mundo fitness proporciona maneiras criativas, descontraídas e nada monótonas de se exercitar. Diante disso, muitas pessoas estão aderindo a atividades que utilizam a natureza, ou que, simplesmente, dispõem de treinos diversificados com resultados rápidos.

Atividades como o crossfit, treino funcional, stand up paddle, slackline, patinação e ciclismo são algumas das opções para quem deseja fugir da rotina das atividades mais tradicionais.

O que não falta é opção!

Crossfit

Imagine ter a oportunidade de fazer uma aula com base em treinamento de bombeiros, oficiais do Exército e da Marinha ou policiais? Estamos falando do crossfit – um programa de condicionamento físico com treinos de alta intensidade, mudanças de exercícios constantes e rápido resultado. Você pode até pensar que jamais conseguiria participar de um treino tão intenso. Na verdade, boa parte das pessoas que aderem à modalidade não praticou nenhum tipo de exercício anteriormente.

Mariana Almeida é a coordenadora do Crossfit Campinas, SP, e possui várias certificações internacionais na área. Ela explica que os professores acompanham o nível do aluno e cada um treina no seu ritmo. Em uma das turmas, a maioria dos alunos não praticava exercícios físicos, mesmo assim eles conseguem fazer a aula toda. “Todos os alunos vão fazer os mesmos exercícios, a diferença vai ser o nível de dificuldade”, completa.

No ginásio de treino da Crossfit Campinas os alunos praticam barra, pulam corda, passam bola, fazem levantamento de peso olímpico, movimentos de ginástica artística, sobem em argola, levantam peso, saltam sobre caixotes, utilizam o peso corporal, entre outros. As aulas são feitas nos períodos da manhã, tarde e noite, com turmas de no máximo 15 alunos. Os treinos têm duração de uma hora e podem levar à queima de até 800 calorias.

A aula tem início com aquecimento. A primeira atividade é uma corrida rápida ao ar livre para preparar o corpo, as articulações e os músculos para os exercícios. Mariana enfatiza que o principal objetivo do crossfit é melhorar o condicionamento físico. Uma de suas principais vantagens é o treino curto e de alta intensidade, em que a queima de calorias atinge um pico elevado, podendo ainda depois da aula queimar gordura.

A publicitária Caroline Pampermayer, 25 anos, confessa que tentou praticar vários tipos de atividades físicas, mas a rotina dos treinos sempre a fazia desistir em menos de dois meses. Com o crossfit foi diferente. “Minha motivação é a grande intensidade, a dinâmica e a variação dos treinos”, destaca.

Caroline está no programa há um ano e três meses e frequenta as aulas assiduamente de segunda a sexta-feira. “Eu me desafio a colocar mais peso, diminuir os elásticos para dificultara flexão de braços, aumentar o tamanho da caixa para pular mais alto”, detalha. O incentivo para a superação vem da professora Mariana, que desafia seus alunos a sempre terminar o exercício da melhor forma possível.

Os resultados no corpo de Caroline são perceptíveis. “Em seis meses diminuí oito centímetros de cintura e também reduzi medidas nas pernas e no busto. Meu corpo ficou mais definido e meu condicionamento físico aumentou”, avalia. Ela também conta que trocou um quilo e meio de gordura por dois quilos de massa magra.

A publicitária enfatiza que superou uma dificuldade que a acompanhava desde a infância. “Eu não conseguia ficar de ponta cabeça nem virar cambalhota. Nas aulas de crossfit consegui fazer a parada de mão, exercício em que a gente fica de cabeça para baixo”, comemora. Com suor, Caroline vence seus limites e medos, além de atingir o objetivo de ter o corpo que almeja com saúde e bem-estar.

Treino funcional

Assim como acontece no crossfit, os treinos funcionais são sempre diferentes e não caem na monotonia. Carla Lacorte, preparadora física, resolveu investir em dar aulas de treinamento funcional. “Passei a gostar quando comecei a praticar. Aos poucos, meus amigos foram pedindo que eu os treinasse e comecei a montar turmas”, relembra.

De acordo com ela, o treino funcional pode ser realizado em vários locais, até no ambiente da própria casa. Podem ser utilizados elásticos, bolas, cordas, halteres e até mesmo o peso do próprio corpo – “equipamentos” fáceis de transportar e encontrar. Uma boa opção é realizar o treino ao ar livre, em dupla ou em grupo.

As aulas da preparadora física são divididas em circuitos e determinadas por tempo ou número de repetições, que duram até 40 minutos. “Nos treinos, procuro dar exercícios multiarticulares, pois envolvem o maior número de músculos em um único exercício”, esclarece. Cada treino possui um objetivo diferente. Há dias cujo foco é a resistência; em outros, a força.

De acordo com ela, em apenas uma hora de aula, o aluno pode ter gasto calórico entre 500 e 800 calorias, dependendo do treino e da pessoa. “O interessante da atividade de alta intensidade é que horas após o exercício o metabolismo continua acelerado e o gasto calórico aumenta”, informa.

A professora de musicalização do Instituto Adventista de Ensino de São Paulo, Talita Bianchini de Almeida, 28 anos, faz o treino funcional com suas amigas até três vezes por semana. “É uma aula curta, mas intensa e bastante dinâmica”, revela.

Talita diz também que sofre de asma brônquica e sempre ficava muito ofegante fazendo os exercícios. “Depois de alguns meses, os sintomas desapareceram. A melhor diferença até agora foi o condicionamento físico”, conta a professora de música.

Além de melhorar a saúde, Talita perdeu alguns quilos e já nota diferença no corpo. “Estou perdendo gordura e ganhado mais massa muscular.” Carla recomenda o treino funcional para quem quer emagrecer de forma saudável sem cair no tédio.

Slackline

É um esporte de equilíbrio, realizado sobre uma fita elástica esticada entre dois pontos fixos, geralmente duas árvores. Depois de instalado, o praticante consegue andar e fazer manobras em cima da fita. É um esporte para todos: pode ser praticado por crianças, adultos e idosos. O praticante de slackline desenvolve equilíbrio, concentração, consciência corporal e velocidade de reação.

O estudante de engenharia elétrica André Luiz Favaron, 21 anos, revela que o mais difícil no início é conseguir ficar em cima da fita. “É preciso ter equilíbrio, força muscular e concentração”, garante. Carlos Lucale, 23 anos, diz que o slackline começou a fazer parte da sua vida quando decidiu escolher uma opção que o livrasse do sedentarismo. “Estava precisando praticar uma atividade física.”

Carlos e André praticam juntos o esporte há um ano, até duas vezes por semana. Eles contam que estavam em um grupo de amigos, quando pensaram no slackline. Os amigos se equilibram em uma fita de cinco centímetros de largura e até 30 metros de comprimento, e já percebem boas mudanças como o aumento da força e as pernas mais resistentes.

Contudo, é preciso ser responsável quando se trata de slackline. Os estudantes alertam para a importância de tomar todos os cuidados necessários para praticar o esporte com segurança e respeito à natureza. “Prestamos atenção ao tamanho da árvore, se está bem cuidada e se vai suportar nosso peso”, observa Carlos.

André também avisa que seu equipamento possui duas catracas de segurança para os praticantes, no caso de a fita arrebentar. Eles cuidam das árvores, pois sem elas não poderiam praticar o esporte de forma tão agradável, desfrutando do frescor da sombra.

Stand up paddle

Outro esporte que exige equilíbrio é o stand up paddle. E a primeira coisa que se deve saber sobre ele é que, apesar de a prancha ser um equipamento necessário, não é preciso ser surfista para praticá- lo. Basta, além dela, ter um remo e um local com muita água: o mar, uma lagoa ou um rio.

O stand up paddle consiste em ficar em pé em cima da prancha e começar a remar. O professor de Educação Física Telmo Bahia Carvalho, dono de uma academia de ginástica em Hortolândia, SP, tem o hábito de se exercitar diariamente. Mesmo assim, ele acresce ele acrescentou na sua agenda mais uma atividade: o stand up padlle.

Ele pratica o esporte há seis anos, sempre que vai ao litoral norte de São Paulo, em Ilha Bela. Em média, Telmo fica até duas horas remando. “As capacidades que eu destaco nesse esporte são o equilíbrio, a coordenação motora, a postura e o bem-estar. Além disso, há o fortalecimento dos músculos centrais estabilizadores do tronco, a resistência e o lazer”, afirma.

O professor também enfatiza que o maior benefício é a sensação de “andar” sobre a água, ter contato com a natureza e visualizar alguns animais marinhos, como peixes e tartarugas.

O coordenador de sistemas de TI Hérlin Girotto, 50 anos, pratica musculação, natação, ciclismo e stand up paddle. Morando em São Paulo, ele diz que aproveita as idas ao litoral para voltar ao esporte, chegando a praticar até seis dias por semana. Na capital paulista, ele improvisa na represa de Guarapiranga. “As remadas trabalham os braços, ombros e o peito, melhoram o condicionamento físico, o equilíbrio, a postura e fortalecem o corpo”, comenta.

Para quem ficou com vontade de fazer stand up paddle, Hérlin dá algumas instruções: “A primeira delas é deixar as pernas semiflexionadas para facilitar o equilíbrio na prancha”, instrui. O esportista fez um curso de dois dias no litoral para aprender os macetes. Ele alerta que já teve um imprevisto com a correnteza, que o levou para uma longa distância; por isso, é preciso tomar todas as medidas para curtir o exercício com segurança.

Bike e patins

Andar sobre rodas também é uma boa ideia para manter a forma e se distrair. É possível queimar até 800 calorias andando de patins, por exemplo. Muitas pessoas patinam para permanecer com o corpo em forma. Com a prática, é possível perder peso e tonificar os músculos das pernas, do abdômen e dos glúteos.

Exercício que ajuda na coordenação motora e desenvolve ritmo e postura, a patinação proporciona ainda o divertimento e a integração com amigos e familiares. Em São Paulo, foi criada a Roller Jam, única pista da América Latina com piso de madeira e que disponibiliza patins ideais para o local. Ali, crianças, jovens e adultos podem participar. Para os iniciantes na patinação, o local oferece instrutores e equipamentos de segurança.

Outro esporte sobre rodas é o ciclismo. Os amigos e administradores Heber Girotto e Pablo Isaías Rugel Aizprúa têm a mesma idade, 41 anos, e a mesma paixão: andar de bicicleta. Ambos participam de um grupo de ciclistas intitulado, por eles, de Fakers Bikers. Eles se reúnem até três vezes por semana em Hortolândia, SP, para explorar trilhas na região metropolitana de Campinas. O grupo, que começou tímido, com apenas cinco pessoas, atualmente já soma aproximadamente 25 ciclistas e pretende expandir mais. “Já chegamos a pedalar com pessoas de idades entre oito e 65 anos”, orgulha-se Heber.

Antes de partir para a aventura, os amigos fazem uma breve meditação, uma oração, reforçam o itinerário e saem animados para explorar as trilhas, faça chuva ou faça sol. Em média, o grupo pedala cerca de 40 quilômetros de distância cada vez.

Vai ficar aí parado?

A prática de alguma modalidade de atividade física está diretamente ligada à qualidade de vida e bem-estar. As pessoas que tornam o corpo ativo melhoram visivelmente suas aptidões físicas e comemoram a perda de gordura e o ganho de massa magra, além de melhorar o condicionamento físico.

Heber já contabiliza seis quilos a menos. “Aumentei a massa magra e o condicionamento físico. Também aprimorei minha alimentação e consigo dormir melhor à noite”, garante.

Para o equatoriano Pablo Isaías não foi diferente. Ele eliminou peso, ganhou mais saúde e aumentou seu círculo de amizades. Pablo revela que, ao pedalar, sente as pernas e panturrilhas trabalhando mais. “De acordo com os aplicativos que eu utilizo, uma pedalada de duas horas pode queimar até duas mil calorias”, acredita.

O contato direto com a natureza motivou os dois amigos a escolher o ciclismo. “Tenho contato com o ar puro e com a luz do sol, que são remédios naturais”, disse Heber. No roteiro das pedaladas está incluso passar por fazendas e sítios, pedalar no barro e na chuva. “Tenho um contato mais direto com a natureza e passo em lugares que dificilmente podem ser acessados de carro”, conclui.

E então, qual exercício combina com você?

Sobre o exercício físico

  • Diminui os sintomas do estresse e da depressão
  • Controla o peso corporal
  • Regula a pressão arterial
  • Melhora a disposição para atividades rotineiras
  • Melhora as noites de sono
  • Aumenta a expectativa de vida
  • Desenvolve maior resistência às doenças

Antes de se dedicar a qualquer atividade física, tome os seguintes cuidados:

  • Tenha liberação médica
  • Use protetor solar
  • Tome muita água
  • Esteja bem alimentado
  • Use roupas apropriadas
  • Lembre-se de aquecer antes do treino

Mais importante do que ter consciência de que precisamos separar um tempo no dia a dia para melhorar a saúde, é saber escolher o exercício que mais agrada, bem como o que mais se adapta a você. Bom treino!