A revista Vida e Saúde circula ininterruptamente no Brasil desde 1939. Ela é composta por 52 páginas coloridas (incluindo as propagandas) divididas em 17 seções fixas que divulgam a ciência com o viés da saúde preventiva. Apoiada na reeducação alimentar e na atividade física, a revista Vida e Saúde tem trabalhado para a construção de uma mentalidade brasileira pró-saúde, há quase 80 anos.

A primeira tentativa, no entanto, em se criar o veículo, ocorreu 25 anos antes. Em 1914, a editora Casa Publicadora Brasileira lançou a revista Saúde e Vida, com 16 páginas. Contudo, a publicação durou poucos meses, vindo a ideia a ressurgir em 1939, quando, desde então, passou a ser publicada mensalmente e distribuída em território nacional com o nome Vida e Saúde.

“Nesta época, a Casa Publicadora Brasileira, em Santo André, SP, ensaiava os primeiros passos no mercado editorial nacional. Assim, em 1914, lançou a primeira revista de saúde para o público brasileiro, durante o auge da Primeira Guerra Mundial. O primeiro número, com 16 páginas, trazia temas como os efeitos maléficos do álcool e do cigarro, orientações para portadores de tuberculose, alimentação infantil, primeiros socorros em caso de queimaduras e outros temas de prevenção”, (Lemos, 2012: 162, tradução livre).

Apesar de não haver nenhum registro comprobatório de que a revista Vida e Saúde seja a primeira revista popular do Brasil sobre vida saudável, muitas evidências levam a crer que ela tenha sido uma precursora do jornalismo em saúde, promovendo mecanismos de prevenção e longevidade.

Outras revistas nacionais são bem mais recentes em comparação à Vida e Saúde. “Foi só a partir da década de 1980 com a preocupação sobre o cuidado do corpo, que começaram a surgir publicações semelhantes em outras editoras,” (SCALZO, 2003).

Outros indícios de que a revista Vida e Saúde provavelmente seja a mais antiga do segmento vêm dos assinantes, que contam que, desde muitas décadas atrás, já se interessavam por assuntos de saúde mas não encontravam material popular de divulgação científica. O cirurgião-dentista Ângelo Roccella, de 83 anos e assinante há 60, declara o seguinte:

“Em 1955, quando me tornei assinante de Vida e Saúde, esta era a única revista que trazia informação sobre prevenção, saúde e alimentação. No mercado editorial brasileiro não havia outra publicação com informação confiável sobre o estilo de vida natural”, (VIDA E SAÚDE, julho de 2013, p. 8-9).

Em períodos em que estudar não era privilégio de todos e a saúde não tinha o mesmo destaque que tem nos dias de hoje, Vida e Saúde proporcionou informações àqueles que se interessavam por temas de saúde e os procuravam, desde a década de 1930.

Suas orientações, até então, inovadoras, chamaram a atenção de pessoas comuns que desejavam obter conhecimento em saúde, a fim de que este saber ganhasse a dimensão prática no que diz respeito a um estilo de vida saudável.

Por se tratar de um veículo que sempre buscou divulgar o conhecimento em saúde a variadas camadas sociais, a revista desde o início procurou interagir com o leitor para, contextualizando, tornar o mais acessível possível seu conteúdo.

Filosofia editorial da revista Vida e Saúde
– Promover a saúde, ensinando a prevenir doenças por meio dos oito remédios naturais: alimentação vegetariana, exercício físico, água, ar puro, luz solar, abstinência de coisas nocivas (ódio, gula, fumo, bebidas alcoólicas e outras drogas), repouso e confiança no poder divino.
– Popularizar o estilo de vida saudável.
– Divulgar a filosofia bíblica da saúde, que valoriza o corpo do homem e da mulher como um verdadeiro tesouro, presente de Deus.
– Alertar a sociedade quanto aos riscos da destruição do Planeta, e promover atitudes que protejam as pessoas, os animais, os rios, as fontes de água, o ar, as florestas.

 

Acompanhe a evolução editorial