Colírio contra retinopatia diabética

Após 20 anos de muita pesquisa, a médica Jacqueline Mendonça Lopes de Faria, da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), apresenta o que poderá ser uma nova e revolucionária opção para o tratamento da perda da visão por diabetes.

Até então, o problema vinha sendo tratado por métodos invasivos, além de caros, como: fotocoagulação a laser, injeção intraocular de medicações ou cirurgias intraoculares.

Por outro lado, o colírio proposto e desenvolvido com nanotecnologia, não é nada invasivo. Ele libera aos poucos um princípio ativo para a retina. “O colírio age nos neurônios da retina, protegendo-os da toxicidade da glicose,” explica a pesquisadora e vencedora do Prêmio “Inovação em Saúde”, da Fundação Everis e Hospital Sírio-Libanês, edição 2018.

O colírio, no entanto, não está disponível ainda. Ele deve passar por testes em humanos, levando ainda algum tempo para se tornar um medicamento efeitivo aos pacientes que sofrem deste mal.

Fonte: Diário da Saúde

Deixe uma resposta