Jesus não gosta

Não dá para negar que 2018 foi um ano e tanto! Não simplesmente pela Copa do Mundo ou pelas Eleições. Porém muito mais pelo impacto das redes sociais, tanto no que diz respeito à Copa, quanto às Eleições. Embora a superficialidade dos argumentos, as trocas de farpas, o compartilhamento insano de notícias falsas tenha feito dessa ferramenta um ringue, algo talvez um pouco pior me chamou mais a atenção.

Você também deve ter reparado como o mestre Jesus Se tornou protagonista de questões com as quais Ele não tem absolutamente nada que ver. Pois é, sinto decepcionar você, mas quando se trata de futebol, Jesus não interfere. Que vença, literalmente, o melhor. Ah! Jesus também não é de direita nem de esquerda, e muito menos de extrema direita ou de extrema esquerda.

Por mais que muitas pessoas simpatizem com Jesus, e desejem encaixá-Lo em causas próprias e convicções pessoais, é importante não cometer gafes. Ah! Mas Jesus disse que devemos amar nossos inimigos (Mateus 5:44). E Jesus disse que não devemos acumular tesouros na Terra (Mateus 6:19). Ah! E Jesus disse para dar a outra face (5:39).

Bem, Jesus realmente disse tudo isso. A questão é que Ele disse mais coisas além disso.

Jesus também disse a Maria Madalena, depois de não tê-la condenado por ser pega em flagrante pegado: “Vai e não peques mais” (João 8:11); Ele também disse que quem O ama guarda Seus mandamentos (João 14:21); Ele disse ainda que “Se a sua mão ou o seu pé o fizerem tropeçar, corte-os e jogue-os fora. É melhor entrar na vida mutilado ou aleijado do que, tendo as duas mãos ou os dois pés, ser lançado no fogo eterno” (Mateus 18:8).

Uau! Jesus disse tudo isso mesmo? Sim e muito mais. É por essas e outras que, ao ver posts e “memes” ideológicos na internet dizendo do que é que Jesus gosta ou não gosta, sinto-me extremamente desconfortável.

Seria realmente muito bom se falássemos Dele para apreender Suas qualidades. Mas não é o que ocorre. O que vejo é o nome sagrado do Filho de Deus sendo usado para sustentar argumentos capengas de pessoas que não comungam com Ele, apenas imaginam como Ele é ou reproduzem opiniões simplórias de grupos que usam Sua popularidade para justificar os próprios conceitos.

Chega de usar Jesus fora de contexto para que Ele seja esteio da nossa má-fé.  Chega de usar a parte para querer falar do todo. Se a gente realmente tiver disposição para conhecer Jesus, Ele vai Se revelar pelo Evangelho, pela pesquisa profunda de um coração desejoso de saber mais sobre o Salvador do mundo.

E por falar nisso, é Natal! Eis o momento para nos achegarmos a Emanuel, o Deus conosco que veio ao mundo deixar claro que Seu reino não é aqui. Jesus morreu pelos nossos pecados, e para nos tornar novas criaturas. Não se trata de pequenos reparos, mas de uma transformação capaz de nos tornar filhos de Deus e de nos fazer lembrar de que, no fim das contas, somos todos irmãos.

Então, Feliz Natal! Feliz aniversário, querido Jesus!

Ágatha Lemos é jornalista, mestre em Ciência e editora associada de Vida e Saúde

Deixe uma resposta