quarta-feira, 19 junho

Estava conduzindo um workshop sobre autoconhecimento e autoestima, quando Lu (nome fictício) ergueu a mão e já em meio a lágrimas começou a compartilhar sua triste história. Em sua infância, seus irmãos frequentemente faziam uma brincadeira que a feria muito. Eles diziam: “Lu, sabia que você não é fi lha do nosso pai e da nossa mãe, mas que você foi adotada?” 

“Mas não se resumia a isso”, disse Lu. Eles ainda acrescentavam alguns detalhes que a deixavam extremamente angustiada: “Eles não a adotaram como todos fazem. Certo dia, enquanto caminhavam, eles ouviram um choro de bebê que vinha de dentro de um tambor de  lixo. Quando se aproximaram, se assustaram, porque viram um bebê lá dentro, feio, sujo, e ficaram com dó, e por isso resolveram adotar aquele bebê.” 

Mesmo com a mãe afirmando diversas vezes que tudo era invenção das crianças, Lu acreditou por muitos anos nessa história. Ela dizia de si para si: “Como poderei conseguir um bom emprego, se não passo de um lixo? Quem vai querer namorar, casar, ter uma família com um lixo como eu? Nunca vou conseguir passar no vestibular para o curso com que tanto sonho, pois não passo de um lixo!” 

Aquela brincadeira de criança afetou pro- fundamente a autoestima daquela mulher e ela  passou a acreditar em diversos pensamentos negativos sobre si mesma.

Percebe como nossos pensamentos, nossas crenças psicológicas sobre nós mesmos, sobre nosso potencial, nossa capacidade, nosso merecimento podem estar disfuncionais, car- regados de pessimismo, negatividade, derrotismo, e como isso irá impactar nossa vida, nossas conquistas, os sonhos e os resultados? Quando lemos em Provérbios 23:7: “Assim como você pensa em sua alma, assim você é”, entendemos de forma mais explícita o quanto nossos pensamentos podem influenciar nossa vida. 

Ter mente saudável só é possível se a alimentarmos com pensamentos igualmente saudáveis, motivadores, equilibrados e otimistas. Nossos pensamentos nos impulsionam e nos levam a crescimentos e conquistas, ou nos paralisam, nos limitam e nos adoecem. Uma mente que carrega pensamentos repletos de negatividade e pessimismo inevitavelmente terá impacto em todo o organismo, podendo desencadear diversas formas de sofrimento. 

A qualidade dos pensamentos tem impacto direto nas emoções e nos comportamentos. Até mesmo o formato e a estrutura do cérebro, e a qualidade da saúde do corpo e da mente estão diretamente relacionados à qualidade dos pensamentos. 

Nosso emocional é estruturado por meio desta tríade: 

Os pensamentos disparam nossas emoções e atitudes. Pensamentos carregados de pessimis- mo inevitavelmente irão desencadear emoções e comportamentos disfuncionais. A mente pode desenvolver padrões de pensamentos disfuncionais, e isso irá afetar completamente a vida em todos os aspectos. Da mesma forma que, ao desenvolvermos uma mente com estilo de pensa- mentos funcionais, saudáveis, otimistas, trará resultados significativos para a vida. 

PENSAMENTOS MOLDADOS 

Nossa mentalidade negativista ou otimista, na maior parte dos casos, é resultado de aprendizagem. Nossa história de vida, os traumas que vi- vemos, as palavras duras que ouvimos de forma repetitiva desde a infância, os reconhecimentos, as valorizações, o ambiente em que estamos inseridos – tudo isso vai moldando nosso estilo de pensamentos, ou no otimismo ou no pessimismo. 

As vivências são ferramentas para a construção da autoimagem e da autoestima, do es- tilo de pensamentos que carregamos. Quando experimentamos uma história de traumas, violência, abusos, críticas excessivas, bullying, rigidez e baixo reforço aos nossos resultados, conquistas e a quem somos, crescemos com baixa autoestima e com crenças disfuncionais sobre quem somos. Essas crenças geralmente são de desamor, desvalor e desamparo. 

Uma mente pessimista terá inevitavelmente forte influência sobre todo o corpo. Provérbios 4:20-23 (versão A Mensagem) diz: “Amigo, ouça bem as minhas palavras; dê ouvidos à minha voz. Mantenha esta mensagem à vista o tempo todo. Decore! Guarde na mente e no co- ração. Quem encontra essas palavras vive de verdade: eles são saudáveis de corpo e alma. Vigie sempre os seus pensamentos: deles depende a sua vida!” 

Quando refletimos sobre essas orientações de Provérbios à luz da realidade de que “todas as células do corpo estão conectadas ao coração, e o cérebro controla o coração e a mente controla o cérebro” (Leaf, p. 96), concluímos inevitavelmente que todos os nossos pensamentos afetam todas as células do corpo. Portanto, deveríamos de fato ter muito cuidado com o que pensamos. Além de cuidar, deveríamos nos mobilizar em um processo de gerenciamento dos pensamentos, a fim de que a mente e o corpo estejam na melhor performance. 

O cuidado com a mente, mantendo-a positivamente ativa e saudável, deveria ser nosso grande foco de interesse. Entretanto, diversas vezes carregamos mitos e preconceitos sobre isso, inclusive a respeito de buscar ajuda profissional para tratar nossos adoecimentos emocionais. 

É preciso considerar que não relutamos em buscar, por exemplo, um dentista quando esta- mos com problemas nos dentes. Tampouco nos incomodamos em buscar um cardiologista, ortopedista ou qualquer outro médico, quando adoecemos fisicamente. Ainda nos disponibilizamos a buscar um podólogo, quando estamos com as unhas encravadas. Por que, então, re- lutarmos em buscar ajuda profissional, quando nossa mente está adoecida ou disfuncional? 

ANALISE E RESPONDA 

Sim ou Não 

Geralmente, uma dor emocional dói mais que uma dor física?

Sua mente adoecida ou repleta de negatividade pode comprometer seus relacionamentos?

Sua mente adoecida ou repleta de negatividade pode comprometer seu desempenho no trabalho?

Sua mente adoecida ou repleta de negatividade pode comprometer sua espiritualidade?

Visto que Deus Se comunica com o ser humano por meio da mente . 

Por que, então, relutamos tanto em cui- dar da mente? Nos preocupamos e investimos mais no cuidado com o dedão do pé, quando a unha está encravada, do que com a men- te, que é o canal de comunicação com Deus. Nos dispomos a buscar ajuda a fim de sanar nossas dores físicas (e realmente precisamos fazer isso), mas nos recusamos a tomar medi- das que aplaquem as terríveis dores emocionais que geram tantos prejuízos em todas as áreas da vida. 

ALTERAÇÃO DE PADRÕES 

Se uma mente de negatividade é assim por consequência de aprendizagem, ela pode desaprender padrões estabelecidos e adquirir novos padrões. Isso é possível porque o cérebro possui

capacidade de neuroplasticidade.

Por muito tempo acreditou-se que após a adolescência seria impossível ocorrer mudanças no cérebro. Entretanto, diversos estudos das neurociências reformularam esse conceito e vêm comprovando que “a mudança cerebral é possível, dependendo de como se escolhe levar a vida”. 

Desde então, pode-se afirmar que, de fato, o cérebro possui a incrível capacidade de se transformar. Essa competência que o cérebro tem de se adaptar ou se modificar conforme o ambiente é denominada neuroplasticidade (Lisboa, 2016, p. 195). Por meio da neuroplasticidade, o cérebro adoecido pode ser transformado; uma mente pessimista, derrotista, infeliz, negativista pode ser estimulada e mudar essa realidade que aprisiona os indivíduos em diversos transtornos mentais. “Estudos têm revelado inúmeras maneiras pelas quais podemos reconfigurar o cérebro para ser mais positivos, criativos, resilientes e produtivos – e enxergar mais possibilidades no mundo”. 

Se por meio da neuroplasticidade podemos desaprender os padrões de pensamentos tóxicos e reaprender novos padrões, como fazer isso na prática? 

PENSAMENTOS E SENTIMENTOS DE DESAMOR 

  • Frequentemente sinto-me sozinho 
  • Tenho a sensação de que as pessoas me abandonam 
  • Acredito que as pessoas me veem como alguém indesejável 
  • Sinto-me incapaz de ser amado 
  • Sinto que as pessoas não gostam de mim 
  • Não reconheço atrativos pessoais em mim 
  • Frequentemente sinto-me imperfeito 
  • Sinto que as pessoas geralmente me rejeitam 

PENSAMENTOS E SENTIMENTOS DE DESVALOR 

  • Frequentemente sinto-me incapaz de fazer certas atividades 
  • Vejo-me como uma pessoa incompetente 
  • Sinto-me ineficiente 
  • Tenho a sensação de ser um fracassado 
  • Não consigo encontrar meu valor 
  • Frequentemente me sinto falho, defeituoso 

PENSAMENTOS E SENTIMENTOS DE DESAMPARO 

  • Sinto-me frequentemente uma pessoa impotente 
  • Sou uma pessoa frágil 
  • Sinto-me alguém vulnerável 
  • Sou carente 
  • Sinto-me desamparado 
  • Preciso frequentemente de pessoas que me deem amparo e proteção 

O IMPACTO DO PESSIMISMO 

O Dr. Seligman, em seu livro Aprenda a ser Otimista: Como mudar sua mente e sua vida, apresenta um levantamento, o qual ele intitula de “O balancete: otimismo x pessimismo”. Ali ele traz o seguinte: 

  • Pessimismo promove depressão 
  • Pessimismo produz inércia em vez de atividade diante de obstáculos 
  • Pessimismo é ruim subjetivamente: triste, para baixo, preocupado, ansioso 
  • Pessimismo está fadado a se concretizar 
  • Pessimistas não persistem diante de desafios, portanto, é comum fracassarem, mesmo quando o sucesso é alcançável 
  • Pessimismo está ligado a uma saúde física deteriorada 
  • Pessimistas são derrotados quando tentam se eleger para cargos públicos 
  • Mesmo quando os pessimistas têm razão e a situação termina mal, eles se sentem pior 

A Dra. Carolina Leaf desenvolveu uma metodologia de ativação do cérebro para torná-lo otimista, e em seus estudos verificou uma melhora de 35% a 70% no desempenho. Essa estratégia está dividida em cinco passos: 

1. Coletar 

Neste estágio, você deverá fazer um processo de introspecção, analisando quais pensamentos tóxicos você tem carregado e alimentado. 

2. Reflexão focada 

Após a identificação dos pensamentos disfuncionais, é preciso investir tempo refletindo, analisando, questionando tais pensamentos. Um pensamento, nada mais é que um mero pensamento; não é um fato. Da mesma forma que um pensamento vem à mente, podemos substituí-lo por outro. 

Meditar sobre esses pensamentos que estão nos aprisionando e questioná-los nos levará a quebrar a força deles na mente. 

3. Escrever 

A escrita é uma ferramenta com alto teor terapêutico. Assim, escrever, seja no papel, tablet, computador ou até mesmo no celular, é muito importante para ajudar você a trazer clareza a respeito do que tem pensado. “Escrever ajuda a detectar melhor a área que precisa ser desintoxicada, permitindo-lhe ver seus pensamentos de maneira visual. É como se passasse seu cérebro para o papel” (Leaf, p. 179). 

Portanto, ao escrever seus pensamentos tóxicos, você conseguirá trabalhar com eles de forma mais estruturada, visual, fazendo reflexões mais aprofundadas. 

4. Revisitar e reestruturar 

Nessa etapa você olhará para o pensamento negativista e poderá, então, escolher por qual pensamento funcional, saudável e otimista você deseja substituí-lo. Deverá escrever os novos pensamentos que foram estruturados para modificar o pensamento tóxico. 

Ao lado de cada pensamento tóxico, escreva pensamentos saudáveis, reestruturando, assim, sua mente em relação a cada um. 

5. Poder ativo 

Nesse último passo de desintoxicação mental, você deverá, de forma intencional, praticar a utilização dos pensamentos que foram reestruturados, isto é, fortalecer os novos pensamentos saudáveis, motivadores, equilibrados, otimistas, que definiu como substitutos para os antigos pensamentos tóxicos. 

  • Reflita profundamente sobre esses novos pensamentos. 
  • Deixe sua mente se demorar refletindo sobre eles. 
  • Tente criar cenas mentais que ilustrem esses novos pensamentos em ação. 
  • Utilize cartões de enfrentamento – bilhetes para si mesmo, contendo os novos pensamentos e que serão espalhados por lugares estratégicos, nos quais o pensamento tóxico geralmente era ativado; isso o ajudará a relembrar e fixar os novos padrões de pensamentos, agora reestruturados. 

De acordo com a Dra. Leaf, no fim do ciclo de 21 dias, o pensamento tóxico já se foi e o novo pensamento saudável começa a dar sinais, como uma semente em que desponta o broto, mas que ainda precisará de cuidados e investimentos, até que a plantinha seja fortalecida e cresça. 

RENOVAÇÃO OU REPETIÇÃO 

Em Romanos 12:2, Paulo escreveu: “Deixem que Deus os transforme pela renovação da mente.” Se desejamos uma mente saudável, que nos impulsione para viver em plenitude neste novo ano, precisamos identificar e trabalhar os pensamentos que estão nos limitando e até mesmo nos aprisionando e, então, de forma intencional, promover uma renovação de tais pensamentos. Se você deseja uma vida transformada em 2024, precisa de novos pensamentos. Sem renovação não há transformação, apenas repetição. 

Alcançar essa transformação de mente não é obra do acaso: “Pensamentos corretos, puros e santos propósitos não nos vêm naturalmente. Temos que lutar por eles” (Ellen White, Review and Herald, 28 de novembro de 1899). Portanto, aproveite este novo ano para investir nesse patrimônio tão importante que é a sua mente, a fim de que pensamentos tóxicos sejam vencidos e novos pensamentos impulsionem você a se colocar na rota do bom viver. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *