sábado, 25 maio

Comprovada relação entre disfunção erétil e consumo de pornografia

Texto por: Equipe VS 1 abril, 2019 Sem comentários

A quantidade de homens abaixo dos 40 anos com problemas sexuais como disfunção erétil cresceu de 2 a 3% para 35%, e a relação disso com o consumo de pornografia facilitado pela internet vem sendo provada com pesquisas. Muitos médicos prescrevem Viagra para esses casos, o que não está dando certo, pois o problema tem origem no comportamento sexual compulsivo estimulado pela pornografia. Devido a esse hábito viciante, muitos homens jovens têm tido problemas também para estabelecer relações românticas, uma vez que a “educação sexual” deles foi distorcida pela pornografia.

Segundo pesquisa realizada pela Universidade de Middlesex, na Inglaterra, 94% dos jovens de 14 anos (entre meninos e meninas) já viram pornografia on-line. Cerca de

60% deles acessaram o conteúdo pela primeira vez em casa. Outro estudo, publicado no periódico Porn Studies no ano passado, revelou que 52% dos entrevistados (homens) começaram a consumir pornografia com 13 anos.

“Uma geração de crianças corre o risco de perder a infância em tenra idade ao deparar com pornografia extrema e violenta on-line”, disse à BBC Peter Wanless, diretor executivo da Sociedade Nacional para a Prevenção da Crueldade contra Crianças (NSPCC).

Segundo especialistas, esse tipo de comportamento é muito parecido com vícios em drogas, cigarro e álcool. Isso significa que quanto mais se consome pornografia, maior é a compulsão que gera a necessidade de aumentar a quantidade diária para alcançar a satisfação desejada. Tanto é que, quando os pesquisadores estudam o cérebro de usuários compulsivos de pornografia, notam as mesmas mudanças comuns a todos os vícios.

O comportamento sexual compulsivo estimulado pela pornografia é responsável por mais de 80% dos problemas sexuais masculinos, incluindo a disfunção erétil. E as mulheres estão sofrendo com isso e com o fato de que suas reais expectativas no sexo não estão sendo contempladas por esses rapazes iludidos pelos conteúdos pornográficos. “Se os meninos acreditam que a pornografia on-line oferece uma visão realista das relações sexuais, isso pode levar a expectativas inadequadas de meninas e mulheres”, disse Elena Martellozzo, principal autora da pesquisa inglês, à BBC.

A boa notícia é que abandonar o vício em conteúdo pornográfico melhora a capacidade do homem de ficar excitado pela intimidade na vida real. Segundo os pesquisadores, o primeiro passo para resolver essa situação é parar de prescrever Viagra, que não atua no aspecto psicológico. É preciso ir à fonte do problema, que muitas vezes tem que ver com o consumo de pornografia, admitir que pode haver um vício e impedir tanto quanto possível o acesso das crianças a esse tipo de conteúdo.

Fonte: Veja

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *