quarta-feira, 29 maio

Alho e câncer colorretal

Texto por: Equipe VS 18 julho, 2019 1 comentário

Referido como “cânfora dos pobres” pelo médico François-Vincent Raspail, na Idade Média, o alho era esnobado pela aristocracia por causa do mau cheiro. De fato, o odor da hortaliça pode até ser quase insuportável, mas seus benefícios são irrefutáveis. Os mais de cem compostos de enxofre da hortaliça são capazes de reduzir a pressão arterial, proteger o sistema imunológico contra bactérias, promover a desintoxicação do fígado, tratar a tosse e prevenir o câncer. 

Inclusive um estudo recente mostrou que o alho tem grande influência na diminuição do risco de câncer colorretal. Esse câncer é o terceiro tipo mais comum em homens e mulheres, sendo que um em cada dez tumores diagnosticados é de origem colorretal. Com estatísticas como essa em mente, pesquisadores do First Hospital of China Medical University publicaram na revista científica Asia-Pacific Journal of Clinical Oncology resultados de um estudo que mostra a relação do alho com a prevenção do câncer colorretal. 

Para investigar, eles avaliaram 1.666 pessoas de idades e sexo diferentes, metade com câncer colorretal e metade sem qualquer tipo de câncer. Os pesquisadores entrevistaram cada participante e também registraram seus hábitos alimentares. Após dois anos de pesquisa, os resultados revelaram que os adultos que comeram mais alho tiveram 79% menos chances de desenvolver câncer colorretal do que aqueles que consumiram quantidade menor de alho.

Felizmente, o alho não é mais ignorado como na Idade Média, mesmo que ainda assim façamos careta diante da possibilidade de comê-lo puro. Para quem quer evitar o mau hálito, uma boa ideia é usar cápsulas gelatinosas, comprimidos, pó, óleo e líquido. Só não se esqueça de consultar um médico antes de tomar qualquer suplemento. 

Texto: Julie Grüdtner

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *