terça-feira, 21 maio

“Alma gêmea” não define relacionamento

Texto por: Agatha Lemos 20 março, 2019 Sem comentários

Nem o oposto nem o idêntico se atrai. Se de um lado a sabedoria popular aposta na química; de outro, procura pela alma gêmea. Contudo, pesquisa realizada pela Universidade de Michigan, nos Estados Unidos, chega à conclusão do que realmente faz uma relação ser duradoura e satisfatória.

Usando dados do Painel de Estudo da Dinâmica da Renda, foram medidos os efeitos de traços de personalidade no bem-estar de mais de 2.500 casais heterossexuais que estavam casados há 20 anos. “As pessoas investem muito em encontrar alguém que seja compatível, mas nossa pesquisa diz que em vez de buscar compatibilidade, as pessoas deveriam analisar se o outro é legal ou não, porque isso conta mais do que a suposta compatibilidade”, disse Bill Chopik, professor de psicologia da Universidade e pesquisador.

Outras conclusões também chamaram a atenção:

1.    Um parceiro consciente e agradável eleva os níveis de satisfação no relacionamento;

2.    Um parceiro neurótico e muito mais extrovertido diminui os níveis de satisfação no relacionamento;

3.    Casais cujas personalidades são muito semelhantes não se mostraram mais felizes ou realizados em sua vida amorosa como se esperava.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *