domingo, 21 abril

Beber ou não beber, eis a questão

Texto por: admin 21 abril, 2016 Sem comentários

As discussões sobre o suposto benefício do vinho à saúde estão longe de acabar. Apesar das muitas tentativas de relacioná-lo à saúde do coração e a outros benefícios, novos estudos garantem que
não há evidência suficiente para essas declarações.

Na primeira atualização de diretrizes sobre álcool no Reino Unido, em 1995, especialistas já advertiam claramente que nenhum nível de consumo regular de álcool é isento de riscos.

Contudo, as novas disposições, divulgadas no início deste ano, são ainda mais enfáticas em afirmar que a evidência que sustenta efeitos protetores do vinho agora é mais fraca do que na época do relatório, vinte anos atrás.

A médica Sally Davies, diretora do grupo de pesquisa, diz que, levando isso em conta, junto com todos os riscos agudos e crônicos conhecidos para a saúde devido ao consumo de bebida, mesmo em níveis baixos, confirma-se a conclusão de que não há justificativa para a recomendação de beber por motivos de saúde, nem para começar a beber por razões de saúde.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *