quarta-feira, 29 maio

Olhar 43

Texto por: admin 15 março, 2016 Sem comentários

“E pra você eu deixo apenas meu olhar 43, aquele assim, meio de lado, já saindo, indo embora, louco por você.” Essa frase, cantada por Paulo Ricardo (do conjunto RPM) nos anos 1980, grudou muitas vezes na mente de muita gente (e não é que me veio de novo à memória?). Nunca entendi por que “43”, mas uma coisa a gente sabia: era o tipo de olhar que quer seduzir, que encara o pretendente demoradamente, fazendo charme. Ou algo assim. (Só sei que funcionou com minha esposa…) Mas não é sobre esse tipo de olhar que eu quero falar. Na verdade, tomei emprestada essa gíria saída do túnel do tempo para registrar que, na iminência de completar 44, finalmente pude entender algo desse “olhar 43, ou melhor, um olhar de 43 anos. E agradeço a Deus cada um deles. Algumas rugas apareceram; tenho bem menos cabelos e sinto falta da minha franja jogada para o lado; e depois de bons anos pós-cirurgia de correção visual, voltei a usar óculos – mas posso dizer que, em outro sentido, meu olhar melhorou e muito.

Na primeira metade da minha vida, eu comi e bebi praticamente de tudo: churrasco, refrigerantes, embutidos, cerveja, torresmo (ui!)… O corpo era jovem e aguentou o “tranco”. Mas não precisava ter sofrido processando tantos elementos agressores. Não precisava ter me arriscado tanto com doenças e vícios. Podia ter vivido muito mais saudavelmente, com a mente mais clara, mas eu não sabia das coisas que sei hoje. Não sabia que podia ter prazer em alimentos simples e saudáveis, e que podia ter mais vigor e disposição. Meu olhar mudou. Passei a ver os animais criados por Deus não mais como alimento, e me senti mais leve e feliz.

Na primeira metade da minha trajetória neste planeta eu assisti a um monte de bobagens e li um bocado de lixo. Filmes de terror, de ficção científica, de aventura fútil e violência gratuita, seriados e mais seriados, histórias em quadrinhos de super-heróis, livros sobre mistérios da humanidade, e por aí vai. Quanto lixo acumulado na memória! Quanta perda de tempo! Quão pouca coisa útil em meio a tanta palha. Mas eis que minha visão mudou. Meu olhar sobre o que tinha e não tinha valor foi drasticamente alterado. De repente, aquilo tudo passou a não mais ter valor para mim. Arrependi-me do tempo perdido e me apaixonei por alimento de verdade, sólido, nutritivo: a Bíblia Sagrada e livros com conteúdo edificante. Deus teve que fazer uma faxina em minha mente e mudar o meu olhar, meus gostos e minhas preferências. Mas Ele fez isso, porque eu permiti. Porque eu pedi. E meu olhar de 43 se tornou mais claro.

Meu olhar de 43 é o de olhos que sabem que já viveram metade de uma existência humana, e que somente existe esperança se olharem mais para frente do que para trás. Se olharem mais para o alto do que para baixo.

Meu olhar de 43 mudou em muitos outros aspectos. E sabe por quê? Porque o fixei em Jesus Cristo, a luz verdadeira.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *