quinta-feira, 26 novembro

Solidão e doença cardíaca

Texto por: Agatha Lemos 4 julho, 2019 Sem comentários

O congresso científico que ocorreu neste ano na Sociedade Europeia de Cardiologia apresentou um estudo que mostra que menos de 10% dos pacientes portadores de insuficiência cardíaca seguem as recomendações que poderiam garantir a saúde. Prática regular de exercícios e restrição do uso de sal, por exemplo, acabam sendo deixadas de lado. Contudo, o que mais chamou a atenção é que a solidão é um dos fatores que mais predispõem as pessoas a não cuidarem de si mesmas. 

A professora Beata Jankowska-Polaska da Universidade de Wroclaw, na Breslávia, explica: “Familiares desempenham um papel crucial na condução do tratamento, principalmente para os mais velhos, garantindo assistência e apoio emocional”.

Tal condição é um assunto sério porque se o paciente cardíaco não faz mudanças no estilo de vida e não segue a recomendação medicamentosa, aumentam-se as chances de ele precisar de internação hospitalar. 

A saúde das pessoas solitárias depende, portanto, não somente de acompanhamento médico, mas também de envolvimento social e emocional a fim de que elas se sintam motivadas a cuidar de si mesmas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *