quarta-feira, 29 maio

Somos todos sistemas

Texto por: admin 23 março, 2018 Sem comentários

Não fomos criados para competir, mas para compartilhar

A mente humana é complexa, não somente quanto aos processos bioquímicos e elétricos cerebrais, mas quanto aos intrincados pensamentos e sentimentos que experimentamos. Na verdade, uma coisa está ligada à outra, ou seja, todos os processos têm que ver com os pensamentos e sentimentos, e vice-versa.

Antônio Damásio, ex-chefe do Departamento de Neurologia da Faculdade de Medicina da Universidade de Iowa e atual professor de Neurociência na University of Southern, Califórnia, em seu livro O Erro de Descartes, escreveu: “A razão pode não ser tão pura quanto a maioria de nós pensa que é ou desejaria que fosse, e as emoções e os sentimentos podem não ser de todo intrusos na fortaleza da razão, podendo encontrar-se, pelo contrário, enredados nas suas teias, para o melhor e para o pior.”

Razão e emoção se entrelaçam, sendo também interdependentes. Não há, portanto, uma razão pura, sem ter sido influenciada por nenhum sentimento, assim como não há nenhum sentimento sem ter sido influenciado por algum pensamento. “A alma respira através do corpo, e o sofrimento, quer comece no corpo ou numa imagem mental, acontece na carne”, afirma Damásio.

Mente e corpo: interligados e inseparáveis

Antigamente se pensava que havia no cérebro humano regiões específicas para cada função. Por exemplo, acreditava-se que havia uma única região responsável pela visão. Hoje sabe-se que “a função de cada parte individual do cérebro não é independente, mas uma contribuição para o funcionamento de sistemas mais vastos, compostos por essas partes individuais. Podemos agora dizer com segurança que não existem ‘centros’ individuais para a visão, para a linguagem ou ainda para a razão ou para o comportamento social. O que na realidade existe são “sistemas” formados por várias unidades cerebrais interligadas”, analisa o professor de neurologia.

Caminhamos para entender a correlação que existe entre Neurologia, Psiquiatria, Psicologia Médica, Imunologia, Endocrinologia, Filosofia, Sociologia e Teologia. Para a saúde mental, precisamos de interligações sociais, compartilhamento, noção e prática de vivência em comunidade. Não fomos criados para competir, mas para compartilhar. Precisamos entender isso melhor.

Entender que você depende de cada ser ao seu redor. Que cada um tem sua importância e participação na formação da saúde (ou doença) social.

Precisamos da natureza, mas também precisamos do vizinho, do lixeiro, do frentista do posto de gasolina, do canto do passarinho, do sol, da lua, da chuva, etc.

A vida e a saúde funcionam em sistema, e é a compreensão disso que nos capacita, posicionando-nos humildemente na existência.

A saúde mental em qualquer época dependerá, portanto, em grande parte de compreendermos a interdependência entre corpo e mente, entre o individual e o social, que somos apenas parte de um todo, e que viveremos melhor ao compartilhar e não ao competir ou acumular.

Então, se você ficar brigando com as pessoas, tentando lhes mostrar o quanto você é ou pensa que é melhor do que elas; se ficar envolvido em competições; se permanecer enganando os outros em atitudes de suborno, corrupção e trapaças; se ficar isolado das pessoas mais necessitadas sem ajudá-las e, pior que isso, explorando-as com trabalho exagerado e salários ruins, lamento: sua saúde caminhará para um colapso.

Qualidade de vida é diferente de alto padrão de vida. Dê um passo concreto hoje para ajudar alguém de alguma forma. Faça isso sem propaganda nem esperando algo em troca, e se sentirá bem.

Um neurologista da Universidade de São Paulo (USP) disse, em uma entrevista sobre a doença de Alzheimer, que, para se prevenir, entre outras coisas, é importante: (1) praticar atos de filantropia, (2) não guardar ressentimentos, e (3) cultivar gratidão na mente e no coração.

Experimente essas dicas e veja como sua saúde vai melhorar!

Cesar Vasconcellos de Souza é psiquiatra
www.portalnatural.com.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *